Sistema de certificação ambiental Greening

Trata-se de um regime, de adesão voluntária por parte dos agricultores, permitindo que o cumprimento da prática greening de diversificação de culturas, por parte das explorações especializadas nos setores do milho e tomate, seja concretizada através de uma prática equivalente- Cobertura do solo durante o período de outono-inverno nas terras aráveis da exploração. Além da prática equivalente, este regime de certificação ambiental nacional abrange também as práticas greening standard de manutenção dos prados permanentes e superfícies de interesse ecológico bem como normativo relativo a gestão de Zonas vulneráveis de acordo com a Portaria n.º 259/2012.

A Agricert é reconhecida pela DGADR desde 04 de Abril de 2016 pela sua competência técnica, procedimentos escritos e recursos para efetuar atividades de controlo e certificação das práticas greening. É também, acreditada pelo Instituto Português de Acreditação (IPAC), em conformidade com a norma NP EN ISO/IEC 17065.


Normativos:

  • Despacho normativo n.º 1-C/2016, de 11 de fevereiro Estabelece o regime de certificação ambiental no âmbito das práticas agrícolas benéficas para o clima e o ambiente.

 

Pedido de Orçamento:

Para aderir ao Sistema de Certificação Ambiental do Geening, o produtor deve seguir os seguintes procedimentos:

  1. Preenchimento e devolução do Impresso “Questionário Preliminar para o Controlo e Certificação”, por correio ou e-mail;
  2. Orçamento dado pela Agricert, após envio do documento preenchido da alínea anterior (Os custos de controlo e certificação são calculados com base em tabela aprovada pelo OC);
  3. Comunicação da aceitação do orçamento por parte do operador ao OC;
  4. Celebração de contrato entre OC e operador;
  5. A partir deste momento o operador deverá cumprir os normativos do sistema de certificação ambiental do greening, sendo este controlado pelo OC 3 vezes ao ano.